10 ALIMENTOS QUE NÃO PODEM FALTAR NO PRATO DA GRÁVIDA

Segundo a Dra. Anna Bordini (CRM- 111.280), ginecologista e obstetra com prática em oxidologia da Clínica Bertolini, a gravidez exige cuidado redobrado com a alimentação, já que não podem faltar nutrientes para a mãe e o bebê. “É importante a mãe ter uma alimentação variada e equilibrada para que o bebê receba os nutrientes certos para crescer e desenvolver-se. O ideal é se alimentar várias vezes ao dia, procurando fazer refeições pequenas e com intervalos regulares”, afirma.
Mas atenção mamãe: comer bem não significa que você deve comer por dois. “O bebê não precisa da mesma quantidade de nutrientes que a mãe, por isso não há necessidade de dobrar a alimentação. Comer de 300 a 500 calorias a mais já é o suficiente”, explica Bordini.
As mães devem ficar de olho na balança durante a gestação, pois o ganho rápido de peso pode causar doenças. “O aumento de peso em pouco tempo pode desencadear a diabetes gestacional, hipertensão e até mesmo o parto prematuro, devido ao aumento das taxas de açúcar no sangue de forma rápida”, alerta a médica.
Cardápio especial para as mamães
Alguns alimentos podem fazer toda a diferença na gestação. Além de garantirem o desenvolvimento do bebê, eles ajudam a eliminar sintomas desagradáveis, como inchaço, insônia e prisão de ventre, e a diminuir o risco de doenças graves, como hipertensão e diabetes gestacional. Veja quais são esses alimentos poderosos:
1. Peixes e frutos do mar
A maioria dos peixes e frutos do mar pode ser consumido durante a gravidez, desde que seja bem cozido. O salmão, por exemplo, é rico em ômega 3 e tem ação anti-inflamatória, além de contribuir para a formação neurológica, cerebral e pulmonar do bebê. Mas as gestantes devem evitar alguns tipos de peixes e consumir outros com moderação. “Cação, peixe-espada, garoupa, atum e marlin devem ser evitados devido aos altos índices de mercúrio presentes em sua carne, algo que pode ser prejudicial ao desenvolvimento do sistema nervoso do bebê”, ressalta a médica.
2. Aveia em flocos
Contém fibras solúveis, que previnem a constipação intestinal, auxiliam no controle dos níveis de açúcar no sangue e na prevenção do diabetes gestacional. Além disso, por ser um carboidrato, a aveia oferece uma sensação de saciedade, evitando que a gestante coma mais que deveria. “Você pode comer duas colheres de aveia com iogurte desnatado antes de dormir para evitar quedas de açúcar no sangue durante a noite”, recomenda Bordini.
3. Leite e derivados
Ricos em cálcio, o consumo de leite é muito importante para o desenvolvimento ósseo do bebê e formação dos dentes do pequeno. Para a gestante o leite e seus derivados protegem da osteoporose e da pré-eclampsia. “A ingestão recomendada para gestantes é de três a quatro copos de leite por dia (1000 mg), que pode ser desnatado ou semidesnatado”, aconselha a médica.
4. Linhaça
A linhaça é um alimento funcional, ou seja, auxilia na prevenção de vários problemas, sem contar que é fibra alimentar e rica em ômega 6. Para o bebê, a linhaça favorece o desenvolvimento cerebral e da retina.
5. Batata-doce
Grande fonte de minerais como o manganês, ácido fólico, cobre, vitamina A e ferro. Além disso, a batata-doce ajuda no desenvolvimento celular do feto, assim como no seu crescimento ósseo, dentário. Também protege a visão e reforça o sistema imunológico da mãe e do bebê. “As batatas-doces são boas para as gestantes e também para as mulheres que estão tentando engravidar, porque são ricas em ácido fólico, que é essencial para o desenvolvimento saudável das células e tecidos”, destaca Bordini.
6. Laranja
A laranja é uma fonte de minerais como cálcio, ferro, fósforo, vitamina A e potássio. O ideal é consumir diariamente uma laranja com o bagaço.
7. Quinoa
Esse cereal é ideal para grávidas por possuir uma grande concentração de proteínas, componentes que necessitam ingerir em maiores doses, especialmente a partir do 3º trimestre da gravidez, que é quando o desenvolvimento fetal é mais rápido. A quinoa reúne fibras, proteínas, minerais e vitaminas, como a B6, que diminui a insônia e previne a depressão pós-parto.
8. Feijão
O feijão é rico em ferro e evita a anemia durante a gravidez e complicações no parto. “Recomenda-se que a gestante consuma, todos os dias, cerca de 30 mg de ferro. Ele pode ser consumido por meio do feijão, lentilha e vegetais de folhas verde-escuras, como espinafre e couve e carne vermelha”, acrescenta.
9. Carne bovina magra e Ovos
Proteínas e vitaminas são indispensáveis para a formação dos tecidos maternos e fetais. “A carne contém vitamina B12, que favorece o desenvolvimento cognitivo do bebê. Já os ovos, além de poucas calorias, contêm mais de 12 vitaminas e minerais”, destaca a médica.
10. Mais vegetais na gravidez
O brócolis pertence à família dos vegetais crucíferos, como o repolho, a couve-flor e a couve-de-bruxelas, que muitas pesquisas comprovam ter efeitos positivos na prevenção de doenças. Esse vegetal contém ácido fólico, um derivado da vitamina B que é sinônimo de proteção na gravidez. “O brócolis contribui para o desenvolvimento neurológico do bebê, evita malformação na medula e no cérebro. Também é rico em cálcio, importante para formação óssea. Para as mamães, combate anemia, alterações psíquicas e doenças cardiovasculares”, conclui.
Agora que você já sabe quais são os alimentos que não devem faltar no seu prato, fique atenta a quais devem ser evitados.
Tome nota:
-Doces e bolos;
-Café, chá, álcool e bebidas com gás;
-Mariscos (devido ao risco de salmonelas);
-Carne mal passada ;
-Queijo fresco de leite não pasteurizado (devido ao risco de contrair brucelose).

Fonte - Dra. Anna Bordini (CRM-111.280), ginecologista e obstetra com prática em oxidologia da Clínica Bertolini

Redes Sociais

Contato

  • 11 5031-4807
  • contato@materlife.com.br
  • Central de Atendimento
  • Segunda à Sexta-feira das 9hs às 18hs