SEU SEGUNDO TRIMESTRE (de 13 a 27 semanas)

COMO O MEU BEBÊ ESTÁ CRESCENDO?

O quarto mês (entre 14 e 18 semanas)

Ao final da décima sexta semana o bebê mede cerca de 12 cm (comprimento cabeça-nádegas) e pesa aproximadamente 110 g. É nutrido pela placenta e está desenvolvendo reflexos como sugar e engolir. O corpo cresce mais rápido que a cabeça e os dedos das mãos e pés já estão bem definidos.

O quinto mês (entre 18 e 22 semanas)

O bebê mede entre 20 e 24 cm e pesa mais de 300 g. Faz movimentos fortes o suficiente para ser percebido pela mãe. Uma delicada penugem, chamada lanugo, recobre a sua pele até então quase transparente. Os cabelos iniciam a crescer e um vérnix protetor começa a se acumular sobre o corpo.

O sexto mês (entre 22 e 26 semanas)

No final da 24ª semana o bebê pesa aproximadamente 630 g. A pele apresenta-se caracteristicamente enrugada, iniciando-se a deposição de gordura no sub-cutâneo. A cabeça é proporcionalmente maior que o corpo; cílios e sobrancelhas são habitualmente visíveis. Os olhos começam a se abrir.

 
O QUE VOCÊ PODE ESTAR SENTINDO

À medida que o seu bebê continua crescendo durante o segundo trimestre, muitas mudanças continuam ocorrendo com o seu corpo. Os incômodos comuns do primeiro trimestre podem ter cessado e você pode estar sentindo algum dos seguintes sinais e sintomas, comuns e normais no segundo trimestre:

Sinais e Sintomas Físicos


°         Aumento do apetite

°         Tonturas e sensação de desmaio

°         Movimentos fetais no final do 4º e início do 5º mês

°         Inchaço nos pés e tornozelos

°         Varizes nas pernas ou hemorróidas

°         Aumento da umidade vaginal

°         Congestão nasal e/ou sangramento nasal ocasional

°         Desconforto e/ou dor pélvica ou na parte inferior do abdômen

°         Cãibras nas pernas

°         Dor lombar

°         Maior pigmentação na pele do abdômen ou face

Sintomas emocionais


°         Alegria e/ou apreensão se você finalmente percebeu a gravidez;

°         Frustração, se você realmente não “sentiu” a gravidez ainda, mas está muito grande para as suas roupas habituais, porém ainda pequena para as roupas de gestante;

°         Sentimento de falta de controle total sobre si mesma, esquecendo coisas, exibindo falta de concentração;

°         Aceitação da gravidez como uma realidade.

ADOTE UM ESTILO DE VIDA SAUDÁVEL

Pare de fumar – Fumar durante a gestação aumenta significantemente os riscos de abortamento, parto prematuro e Síndrome de Morte Súbita na Infância (SIDS). Foi demonstrada também a redução estatística do peso de nascimento, em cerca de 100 g ou mais, em filhos de mães fumantes de 10 cigarros ou mais por dia. O ideal é parar de fumar imediatamente. Reduzir progressivamente o consumo pode ser uma estratégia bem sucedida até a parada total. Se você é fumante encare o cigarro como um problema que tem uma solução. Lembre que você é capaz de não fumar no cinema, em lojas, em aviões e em restaurantes. Assuma que a gravidez é uma destas situações e que você deve convencer a si mesma que não lhe é permitido fumar e ponto final. Se você não resistir e fumar um cigarro não se desespere. Retorne ao exercício mental de parar de fumar sabendo que cada cigarro não fumado é um benefício para o seu filho. 

Evite bebidas alcoólicas – Nenhuma quantidade mínima segura de álcool foi estabelecida para consumo durante a gestação, sendo prudente evitar as bebidas alcoólicas. O consumo contínuo e excessivo durante a gestação (definido como 5 a 6 doses de destilados – uísque, vodka – ou de cinco a seis copos de vinho ou cerveja) pode causar a Síndrome Alcoólica Fetal, uma importante causa de retardamento mental em recém-nascidos. Fora da gestação existem evidências científicas que atestam os efeitos benéficos do consumo de vinho tinto em quantidade moderada (um cálice por dia) sobre o risco de doença coronariana, reduzindo as taxas de infarto agudo do miocárdio.

Somente utilize medicamentos prescritos pelo seu médico – A automedicação é perigosa e pode causar prejuízos à saúde da mãe e do bebê. Mesmo analgésicos simples devem ser autorizados pelo médico. Medicamentos que já estavam sendo utilizados antes da gravidez devem ser discutidos na primeira consulta do pré-natal.

Mantenha a atividade física – Mantenha a sua atividade habitual, sem esforços excessivos, a menos que o seu médico indique repouso. Caminhadas ao ar livre, hidroginástica,natação, yoga e ginástica aeróbica de baixo impacto são permitidos e devem ser estimulados. Os exercícios ajudam manter o tônus muscular e reduzem o stress. Um planejamento individual em academias, ou mesmo em casa, é uma boa alternativa para manter um corpo saudável e acelerar a recuperação após o parto.

COMO O MEU BEBÊ ESTÁ CRESCENDO?

Após a concepção, as células do ovo (óvulo fecundado por um espermatozóide) se dividem várias vezes para formar o embrião. Quatro semanas após a implantação o embrião é pequeno, menor que um grão de arroz e tem um formato similar ao de um girino. A partir do início da 5ª semana, período correspondente aos primeiros dias da falha da menstruação, já é possível identificar o saco gestacional durante a ultra-sonografia. Os níveis sangüíneos de gonadotrofina coriônica (Beta-HCG) podem ser detectados poucos dias após a implantação do ovo e duplicam a cada 48 horas. Este é o momento de iniciar o pré-natal, realizar os exames laboratoriais de rotina, registrar o peso inicial e agendar as consultas mensais. 

O segundo mês (entre 6 e 8 semanas)

O embrião duplica o seu tamanho com seis semanas e inicia-se o processo de formação de órgãos vitais como a medula e o cérebro, pulmões, estômago, fígado, pâncreas, intestinos e rins. Os batimentos cardíacos do embrião se iniciam cerca de 28 dias após a fertilização, podendo ser identificados na 7ª semana de gestação por ultra-som transvaginal. Outros órgãos internos continuam o seu desenvolvimento e os esboços de membros diferenciam-se, pouco a pouco, em braços e pernas. Na oitava semana praticamente todos os órgãos internos estão formados e continuam a amadurecer durante a gestação. O embrião agora mede cerca de 1,5 cm de comprimento.

O terceiro mês (entre 9 e 13 semanas)

Agora o bebê é facilmente reconhecido como um pequeno ser humano. Braços e pernas são visíveis, o coração em plena atividade, bombeando o sangue. Os órgãos reprodutivos estão se formando, mas ainda é difícil diferenciar o sexo. A partir da 10ª semana o bebê apresenta atividade corporal exuberante, com flexão e extensão da cabeça e das extremidades, com membros bem definidos. Trata-se de época ideal para a realização de ultra-sonografia do primeiro trimestre, já que além de conhecer com precisão a idade gestacional e a morfologia fetal, ainda é possível avaliar se o bebê apresenta risco para anormalidades genéticas. A medida da transluscência nucal entre 10 e 14 semanas é um importante recurso para identificar fetos com risco aumentado para problemas genéticos, especialmente a Síndrome de Down. O médico ultra-sonografista mede a espessura de uma prega na região da nuca do embrião e avalia o risco para aquele bebê, levando também em conta a idade da mãe.

É importante assinalar que o diagnóstico definitivo da ausência ou presença de qualquer anormalidade cromossômica do feto exige a realização de biópsia de vilo corial ou amniocentese, exames invasivos que devem ser indicados ou não pelo médico obstetra.

O SEU PRIMEIRO TRIMESTRE (de zero até 12 semanas)

Exercícios regulares alternados com repouso adequado são úteis para combater o cansaço comum no início da gravidez. Tire pequenas sonecas sempre que possível.

Ar fresco e exercícios podem ser tudo o que você precisa para evitar dores de cabeça. Lembre-se que o seu médico deve aprovar toda e qualquer medicação utilizada durante a gravidez, inclusive analgésicos, especialmente no primeiro trimestre.

Trate de adicionar mais fibras à sua dieta (produtos com farelo de trigo ou outros cereais, frutas, legumes e verduras) e beba muito líquido. Estas simples medidas dietéticas podem resolver qualquer tipo de constipação.

Você também pode apresentar azia e sensação de queimação na região do estômago, especialmente durante jejum por mais que 4 horas. Procure alimentar-se em pequenas quantidades com mais freqüência (a cada duas ou três horas). Beba água gelada e evite os alimentos que possam agravar o quadro, como comidas condimentadas ou gordurosas. Se o problema persistir consulte o seu médico sobre a possibilidade de utilizar algum antiácido que possa aliviar os sintomas.

O que você pode estar sentindo no início da gestação

Sintomas Físicos

°         Ausência de menstruação

°         Maior freqüência urinária

°         Náuseas, com ou sem vômitos

°         Cansaço e sonolência

°         Azia ou má digestão

°         Aversão a algum tipo de comida

°         Maior sensibilidade mamária

°         Constipação intestinal

°         Dor de cabeça ocasional

°         Roupas mais apertadas na cintura

°         Aumento do apetite

Sintomas emocionais


°         Instabilidade emocional, comparável ao período pré-menstrual. Pode incluir irritabilidade, alterações do humor e vontade de chorar

°         Medo, alegria, estímulo – nenhum ou todos eles ao mesmo tempo.

Redes Sociais

Contato

  • 11 5031-4807
  • contato@materlife.com.br
  • Central de Atendimento
  • Segunda à Sexta-feira das 9hs às 18hs