QUEDA DE CABELO DURANTE A GESTAÇÃO É NORMAL

Embora não tão comum, a perda dos fios durante a gestação não é motivo para desespero. Isso acontece porque é no final da gravidez que aumentam os níveis de progesterona e testosterona, os hormônios estimulam a secreção das glândulas sebáceas e assim os fios caem quando lavados e escovados.
O dermatologista Anderson Bertolini (CRM-107976), diretor médico da Clínica Bertolini, explica que fazer alimentações ricas em proteínas, sempre massagear o couro cabeludo e usar uma loção fortificante pode ajudar a evitar a queda dos cabelos durante a gravidez. “Não há nenhum tratamento específico que possa ser feito. A situação da queda pode melhorar perto da criança fazer um ano. Porém as mulheres que já tem uma pré-disposição para a calvície devem ir ao médico durante e depois da gravidez para não agravar o problema”, avisa o médico.
Também é essencial usar um xampu de qualidade, de preferência suave, e evitar tingir os cabelos, em especial, no primeiro trimestre, quando o bebê estiver se desenvolvendo. É preciso evitar qualquer tipo de procedimento químico, já que durante a gestação o normal é cair os fios e as químicas irão prejudicar ainda mais. Além do risco das substâncias químicas dos produtos passarem para a corrente sanguínea, o que pode chegar até o bebê. “Se você está preocupada com a queda de cabelo na gravidez, aguarde que por volta dos seis meses após a gestação o seu cabelo vai melhorar e pode mesmo ficar diferente do normal”, diz o médico.
Após o parto, no entanto, a queda pode se agravar porque ocorre uma mudança metabólica hormonal que, somada a transferências de nutrientes do organismo da gestante para o feto, causa um período de aumento da queda de cabelos. Nesse caso, o único tratamento viável requer algumas mudanças de hábito. Além de xampus ou loções, a alimentação também pode ajudar bastante nesse processo. Invista em uma dieta rica em proteínas. Alimentos como peixes, leite, ovos, frango, feijão, soja e muitos outros são bastante indicados. Alimentos ricos em ferro, vitaminas A e B, zinco e betacaroteno também são muito importantes, por isso, coloque cereais, derivados do leite, fígado, uva passa, cenoura, entre outros alimentos na sua dieta.
Esse período, na maioria dos casos, ocorre três meses após o parto, mas pode se prolongar no caso de a mulher ter alguma herança genética de calvície. “Nessas circunstâncias”, observa Bertolini, “a queda pode permanecer durante anos, e tornar-se crônica e ainda mais acentuada no período pré-menopausa”.

Fonte: Dermatologista Anderson Bertolini (CRM-107976), diretor médico da Clínica Bertolini

Redes Sociais

Contato

  • 11 5031-4807
  • contato@materlife.com.br
  • Central de Atendimento
  • Segunda à Sexta-feira das 9hs às 18hs