IRRITAÇÕES NA PELE: PROTEJA O SEU FILHO NESSE VERÃO

As características formam um prato cheio para o surgimento de irritações. Portanto, todo cuidado é pouco. Entre os principais problemas estão: As brotoejas, alergias, irritação da areia (no caso da praia) e reação ao filtro solar. "Ao longo do tempo a pele vai ficando mais firme e mais grossa, características que indiretamente a protegem contra os fatores que possam agredi-la. Mas, até lá, todo cuidado é pouco quando se trata de uma criança, sendo necessário bom senso dos pais na hora de levarem seus filhos à praia, por exemplo,", explica o médico dermatologista Fernando Passos de Freitas.
O médico explica que cada caso carece de um cuidado específico, mas dicas simples e gerais já podem evitar consideravelmente um problema futuro. Evitar o excesso de sol, freqüentar lugares quentes e ambientes fechados já evitam que a pele da criança apresente brotoejas, por exemplo.
Em caso de assaduras, é importante cuidar bem da área com uma pomada específica. "Pais devem ficar atentos nas áreas das dobrinhas corporais, já que com o tempo quente podem surgir assaduras com facilidade. Se a pele ficar muito agredida, podem até surgir cicatrizes futuras", informa o médico.
Problemas mais comuns:
- Assaduras:
As assaduras são uma conseqüência da irritação da pele devido a urina na região de fraldas. O abafamento, calor e dobras agravam ainda mais o problema. Os pais devem se atentar, sobretudo, em relação à higiene da criança, evitando que a criança fique molhada por muito tempo. O uso de fraldas de qualidade, que absorvam e controlem o fluxo da urina, também se faz necessário. Caso perceba qualquer alteração como: pele avermelhada, surgimento de pústulas (um tipo de espinha) ou feridinhas, procurar imediatamente um especialista.
- Brotoejas:
As brotoejas surgem geralmente em áreas onde o suor é mais intenso, como pescoço e axilas. Por não ter as glândulas sudoríparas totalmente amadurecidas, a pele acaba se irritando. A prevenção é evitar expor a criança ao calor. Para combater as existentes, basta molhar as áreas com água fria e passar amido de milho para acalmar a pele. Importante sempre manter a pele descoberta.
- Filtro Solar:
Se o filtro solar ou hidratante tiver muita química, fatalmente a criança irá sentir na pele, que ficará grosseira e avermelhada. Para crianças, o filtro ideal é o que possua consistência leve, ativos hidratantes e fórmulas que impeçam a penetração dos raios solares. Caso perceba a irritação, lave a região imediatamente.
-Irritação da areia:
A areia por si só já incomoda a criança. Podem surgir "bolinhas", como se fossem cabeças de alfinete. Para tratar, basta não expor a criança novamente às areias da praia.

Fonte- Dermatologista Fernando Passos de Freitas
Site- www.drfernandofreitas.com.br


IMPETIGO – DESCUBRA O QUE É E COMO TRATAR

Impetigo é uma doença de pele causada por bactérias. Ela é extremamente contagiosa. O aparecimento é frequente em crianças entre 2 a 6 anos e pode ser transmitida para os adultos. No entanto, a afecção não é perigosa, mas se não for medicada e higienizada corretamente, pode trazer problemas ainda maiores como inflamações internas e pode provocar profundas cicatrizes.
As feridas costumam aparecer em algumas partes do rosto e acabam se espalhando por quase todo o corpo.
Como o impetigo é causado por bactérias, ele pode surgir de um simples machucado ou até pela picada de um inseto,que podem servir de porta de entrada. O impetigo é mais prevalente em climas mais úmidos e quentes.
Para identificar a infecção, o dermatologista Fernando Passos de Freitas alerta para os sintomas:
- Região contaminada fica avermelhada;
- Secreção com pus que depois cria-se uma crosta;
- Dependendo da bactéria, a região afetada pode ganhar diversas bolhas;
- Quando as bolhas estouram ficam amareladas;
- Coceira;
- Íngua (inflamação nos gânglios linfáticos).

“O tratamento tem que ser bem higiênico. O local das feridas precisar estar sempre limpo. Lave bem as mãos antes de passar qualquer medicação”, diz Freitas. Para alguns casos o dermatologista recomenda o uso de antibióticos de uso oral ou tópico através de cremes ou pomadas que devem ser receitados sempre por um médico.
É imprescindível passar ou dar o remédio para as crianças na quantidade de dias solicitados, mesmo que aparentemente o machucado tenha desaparecido.
As feridas devem ser lavadas com água e sabão. Jogue fora ou lave o pano que você usou para secar a lesão. O paciente necessita ficar em observação por pelo menos 48 horas. Depois disso a doença não é mais contagiosa.

Fonte - Dermatologista Fernando Passos de Freitas



SAIBA COMO LIDAR COM A DESCAMAÇÃO DO COURO CABELUDO

Essa descamação do couro cabeludo ocorre devido aos resíduos superficiais e à oleosidade. “A caspa está associada à seborreia e constitui uma forma de transformação patogênica de um fungo chamado Pityrosporum Ovale, que existe na pele e devido à influência da seborreia adquire uma forma que se traduz pela descamação, mais ou menos, intensa e incômoda”, detalha o dermatologista Fernando Passos de Freitas (CRM 106.504).
Além disso, é um problema crônico intermitente que pode desaparecer ou tornar-se menos grave durante o verão. “No entanto, o fungo que provoca a descamação existe na pele e não pode ser eliminado. Por isso, o problema pode ser controlado, mas não há cura definitiva”, diz o médico. A melhor maneira de lidar com o problema é apostando em um xampu anticaspa, duas vezes por semana, para manutenção e controle da situação.
Vale lembrar que o estresse pode desencadear e/ou acentuar o problema. Assim como a má alimentação (principalmente com alimentos com excesso de gordura e pobre em nutrientes) e o abuso de bebidas alcoólicas, já que o álcool inibe a atividade de algumas vitaminas do complexo B, que agem no folículo piloso, ou seja, na raiz dos cabelos, desequilibrando as glândulas sebáceas.
Como tratar o problema
A melhor maneira de tratar o problema é por meio de orientação médica. Adquirir cosméticos anticaspa sem orientação especializada pode até agravar o problema. “O produto ideal depende da situação do couro cabeludo (se está muito irritado ou não) e o tipo de caspa (se é muito oleosa ou não)”, ressalta o dermatologista.
Medidas para prevenir a caspa
Higiene é palavra-chave para evitar que a caspa se transforme em um incômodo. Por isso, lavar sempre os fios é necessário. “Quem tem cabelo oleoso pode lavar diariamente e quem tem cabelo ressecado, pode lavar em dias alternados”, ensina o especialista. E a seguir, ele oferece outras dicas importantes:
• Evite usar secador todos os dias. Optar pela temperatura mais fria é uma boa opção.
• Lave pentes e escovas periodicamente para remover micro-organismos.
• Na hora de passar o xampu, aproveite para massagear suavemente o couro cabeludo. Essa técnica ajuda na oxigenação da raiz.
• Não use condicionador na raiz dos fios. Apenas no comprimento e nas pontas.
• Lave o cabelo com água morna e, para retirar o condicionador, usar água fria, que dá mais brilho e vida aos fios.

Fonte- Dermatologista Fernando Passos de Freitas (CRM 106.504)

8 DICAS PARA EVITAR A ACNE NA GRAVIDEZ

O excesso de oleosidade é mais comum no final da gestação quando intensificam as alterações hormonais, mas os cuidados devem ser tomados desde o início da gravidez.
A acne pode ser evitada com a diminuição da oleosidade da derme, com uso de sabonetes específicos para pele oleosa e protetor solar em forma de gel ou loção.
Para você futura mamãe que quer evitar a acne, o dermatologista elaborou 8 dicas para evitar o problema.
1-Lave o rosto três vezes ao dia, mais do que isso pode aumentar a produção do sebo e piorar o quadro.
2-Faça limpeza da pele regularmente com produtos sem óleo (oil free) e indicados pelo seu médico.
3-Evite espremer os cravos e espinhas, isso só agrava o problema e pode deixar cicatrizes.
4-Faça limpeza de pele uma vez por mês com profissional capacitado (mas fique atenta aos produtos utilizados por ela e aparelhos de estimulação elétrica, que são contra-indicados na gravidez).
5-Não durma de maquiagem, faça uma boa limpeza da pele antes de dormir, isso evita o fechamento dos poros e futuras espinhas.
6- Faça drenagem linfática manual facial, pois ajuda na desintoxicação da pele e melhora bastante o aspecto estético.
7- Use protetor solar em gel.
8-Se ao final da gestação o problema persistir, procure orientação de um profissional especializado que terá a solução adequada para seu caso.

Fonte- Dermatologista Fernando Passos de Freitas
Site- www.drfernandofreitas.com.br


Os cuidados com Gêmeos

É claro que o ideal seria que todas as mães conseguissem se preparar e também adequar o ambiente para receber o bebê que vai nascer. No entanto, nas gestações múltiplas, tais cuidados merecem ser encarados com especial atenção, principalmente no tocante à logística exigida por mais de um bebê.
A segurança da mãe facilita bastante os cuidados que prestará a eles, e o que pode contribuir para essa segurança é obter informações sobre como cuidar dos bebês, além do conhecimento sobre o desenvolvimento deles.
Hoje em dia, existem muito cursos psicoprofiláticos, que incluem até aulas práticas de puericultura. Contudo, apesar de serem voltados para os cuidados de um único bebê, é possível aprender muitas coisas e aplicá-las aos gêmeos ou trigêmeos – e assim por diante... Esses cursos não devem substituir o que as mães sabem intuitivamente a respeito dos filhos, mas podem ser complementares.
Muitas mães se apavoram quando pensam na chegada dos bebês – e um dos assuntos que mais as assustam e preocupam é a amamentação.
A orientação sobre o posicionamento dos bebês ao seio, por exemplo, é muito importante. Entretanto, as mães são diferentes, e cada bebê tem necessidades distintas que devem ser levadas em consideração. Por esse motivo, deverão encontrar a melhor maneira e posição para o aleitamento, ora com dois bebês juntos, ora com cada um individualmente e, para isso, o tempo e a convivência serão os maiores aliados.
Nos cuidados com gêmeos ou múltiplos, a sobrecarga de trabalho aumenta, pois nem sempre um bebê tem o mesmo ritmo que o outro e, independentemente disso, necessitam de cuidados que devem ser ministrados de maneira individual, pois apesar do tempo que estiveram juntos no ventre materno, são indivíduos com personalidades e necessidades diferentes. É fácil cair na padronização dos cuidados, no entanto, deve-se dar muita atenção a isso, porque os bebês se desenvolvem individualmente. Em especial no início da vida, essa atenção deve ser dispensada levando em conta cada bebê, para que se constitua tanto física como psiquicamente saudável.
Com gêmeos ou múltiplos é preciso ter muita atenção, pois apesar da importância de cada um se desenvolver sua personalidade, não é fácil encontrar o meio-termo. Os recém nascidos, necessitam ainda muito da companhia um do outro, e mantê-los separados o tempo todo também não é saudável. Na verdade, é difícil descobrir como isso pode ser feito, mas a convivência com eles pode dar essas respostas, o que requer tempo e paciência. Por esse motivo, aconselho que as mães não hesitem em buscar ajuda para se sentirem seguras em relação ao que conhecem dos filhos.


Cynthia Boscovich
Psicóloga clínica, psicanalista. Além de atender adolescentes e adultos em seu consultório, possui um trabalho específico com grávidas, mães e bebês, na área de prevenção e tratamento.
www.cuidadomaterno.com.br
Tel. (11)5549-1021

Redes Sociais

Contato

  • 11 5031-4807
  • contato@materlife.com.br
  • Central de Atendimento
  • Segunda à Sexta-feira das 9hs às 18hs