BEBÊS TAMBÉM SÃO VÍTIMAS DE UNHAS ENCRAVADAS

A partir de um ano, as crianças criam diversas estratégias para a mãe não conseguir cortar a unha. Elas fazem um chororô, se mexem o tempo todo dificultando o trabalho da mãe. “O ideal é encontrar o momento certo para cortar a unha do bebê e, aos poucos, ir diminuindo o trauma. Pode ser durante o sono pesado, quando está mamando ou distraída com alguma coisa”, ensina o médico.
Vale destacar que manter o cuidado com as unhas do bebê é essencial para evitar o aparecimento de feridas ou inflamações. E não deixe de procurar ajuda médica se notar pus e vermelhidão. “É importante uma avaliação criteriosa visando identificar e diagnosticar uma possível infecção bacteriana. Nestes casos, o bebê pode até ter febre.Caso a pele esteja apenas inflamada, mas não há pus no local e a criança não apresente febre, o problema pode ser resolvido com métodos caseiros”, alerta o médico.
Neste tipo de situação, o dermatologista aconselha as mamães a molharem os pés do bebê em uma água morna com sabão, aplicar um creme antibiótico de uso tópico e quando o dedinho do filhote estiver menos sensível, tentar dobrar a unha para cima para extrair a cutícula.
As mães também devem estar atentas aos sapatinhos, que podem estar apertando, e ao uso de macacão fechado, caso a roupa não esteja no tamanho adequado. “Muitos bebês nascem com as unhas dos pés curtas parecendo que vão encravar. Por esse motivo, todo cuidado é essencial para evitar que isso realmente ocorra e para que cresçam sem problemas”, garante o médico.
Como cortar a unha do meu bebê?
As unhas dos bebês devem ser cortadas à partir do momento em que estiverem grandes. As das mãos crescem mais rápidas e são cortadas semanalmente. Já as dos pés demoram cerca de quinze dias para crescerem.
O ideal é cortar sempre no mesmo horário para que a criança, aos poucos, associe essa prática. Opte por tesourinhas pequenas de bico redondo. Lembrando que o cortador de unha não é muito aconselhável para os bebês, pois eles podem machucar os dedinhos. “A melhor forma de evitar o problema nos pés, é cortando no formato ¨quadrado¨, com os cantos laterais visíveis. Não corte no formato ¨arredondado¨ nos cantos, pois a pele pode se transformar em uma barreira para o crescimento das unhas”, aconselha o médico.
Outro detalhe importante é atentar-se aos sapatinhos de bico fino, apertados nos dedos, que podem propiciar o encravamento, principalmente em crianças que estão com as unhas no formato arredondado.

Fonte - Dermatologista Fernando Passos de Freitas- CRM- 106.504 - www.drfernandofreitas.com.br

COCEIRA E INFLAMAÇÃO É UM TIPO DE ALERGIA OU APENAS IRRITAÇÃO? IDENTIFIQUE OS SINAIS DA PELE DO BEBÊ

Segundo o médico, é importante distinguir irritação de alergia após o surgimento de bolhas, manchas ou prurido na pele do bebê. “Geralmente, 80% das reações de pele são listadas como alergias, porém podem ser irritações específicas caracterizadas pelo aparecimento de lesões epidérmicas (camada superficial) e reações inflamatórias na derme (profunda). Já a alergia costuma ser comum em crianças que apresentam problemas respiratórios como bronquite e asma”, acrescenta.
A dermatite irritante e a de contato alérgica se manifestam de formas diferentes. A primeira é uma inflamação resultante do contato com ácidos ou materiais alcalinos como sabonetes, xampus, detergentes ou outras substâncias químicas. Já a dermatite de contato alérgica é causada pela exposição a uma substância ou material em que bebê é sensível ou alérgico, sendo que a reação pode surgir até 48 horas após o contato. “O bebê não apresenta ainda o sistema imunológico totalmente maduro, prejudicando o diagnóstico de uma reação inflamatória ou uma alergia simples. Porém, geralmente ocorre uma irritação que deixa a pele bastante avermelhada e com algumas pequenas vesículas”, destaca o dermatologista.
Alergia ou irritação?
Os sintomas de uma irritação caracterizam-se por inflamação vermelha e bolhas de águas que podem ser acompanhadas de coceira. A irritação costuma ser pontual e rápida. Já as reações alérgicas englobam sinais como coceira na pele, bolhas, inchaço, diarréia ou vômito, sendo que casos mais graves podem causar falta de ar, queda de pressão, desmaios e rouquidão. A reação alérgica pode durar dias. “Independente do diagnóstico, a criança precisa ser levada ao médico imediatamente para avaliação e tratamento adequados”, afirma o médico.
Como saber se o bebê é alérgico?
Em caso de suspeita, o melhor é eliminar as possibilidades. Se a mãe desconfia que o filho tem alergia à poeira, por exemplo, ela deve fazer uma faxina geral tirando cortinas do quarto, tapetes e mantas. Porém, sem ele estar em casa. Deixe-o com alguém de sua confiança para manter tudo em ordem e não lhe causar nenhum mal. “Se os sintomas melhoram,pode ser um bom sinal de que o bebê é atópico(alérgico)”, diz o dermatologista.
Aliás, as chances do bebê sofrer uma reação alérgica são grandes, principalmente se os pais apresentam algum tipo de alergia. E os pais precisam ficar atentos ao surgimento de bolinhas vermelhas na pele, espirros ou dificuldade para respirar. “Normalmente, as crianças atópicas apresentam tendência às irritações cutâneas mais que outras crianças em geral”, afirma.
Cuidados especiais com a higiene
Devido ao sistema imunológico do bebê ainda ser fraco, é fundamental apostar em hábitos de higiene rigorosos. “As mães devem se preocupar em manter sempre as roupas limpas, lavar as toalhas de banho e depois passá-las para eliminar bactérias. É importante evitar o uso de cobertores e roupas de lã. E as fraldas devem ser trocadas várias vezes ao dia para evitar que ocorra irritações ”, recomenda o médico.
• Algumas medidas podem evitar que o bebê sofra com alergias ou irritações. São elas:
• Na hora do banho, verifique a temperatura da água que deve ficar em torno de 37 graus.
• Dê preferência às toalhas bem macias, com tecido semelhante àqueles usados em fraldas de pano. Evite friccionar demais a toalha na pele do bebê, para não machucá-lo. Faça movimentos bem suaves, para retirar a umidade com o toque da toalha na pele e não com o atrito.
• Para combater as brotoejas que aparecem no corpo do bebê, o vista com roupas fresquinhas e evite lugares abafados para que o bebê não transpire em excesso provocando bolinhas alérgicas.
• Caso o bebê apresente pele seca e com rachaduras, use óleo de amêndoas após o banho para resolver o problema.
Fonte- Dermatologista Fernando Passos de Freitas (CRM-106.504)

Redes Sociais

Contato

  • 11 5031-4807
  • contato@materlife.com.br
  • Central de Atendimento
  • Segunda à Sexta-feira das 9hs às 18hs