Para Barrichello, antes de adotar qualquer dieta, o paciente deve conversar com o sue médico e avaliar a real situação do problema. “É importante ressaltar que nem sempre as dietas dispensam medicamentos”, reforça. No entanto, o especialista elaborou uma listinha de alimentos que devem compor o cardápio de quem quer se ver livre de dores e queimações estomacais. Confira!
• Priorize hortaliças como couve, alface, hortelã, além dos chás como o de capim santo e camomila. Consuma vegetais e frutas cruas e beba bastante água nos intervalos das refeições.
• Aposte nas ervas e temperos naturais como coentro, sálvia, salsa, tomilho, manjericão, cominho e hortelã para dar mais sabor aos alimentos.
• Alimente-se com tranquilidade. Converse pouco durante a refeição, mastigando cerca de 25 vezes o alimento e evite ingerir líquido durante este processo.
• Evite permanecer longo período de estômago vazio, procure fracionar ingerindo algo a cada três horas.
• Beba leite de forma moderada, até mesmo o desnatado. O leite é alcalino e o pH do estômago, ácido. Quanto mais substâncias alcalinas forem ingeridas, mais ácido o estômago irá produzir podendo ocasionar sintomas indesejados.
• Substitua a laranja pera por laranja lima, pois a lima é menos ácida.
• Se for toma café, prefira o descafeinado, pois a cafeína estimula a produção de ácido pelo estômago.
• Se quiser comer fritura, prepare em frigideira de teflon, sem óleo. E se puder, opte pelas versões grelhadas.
O que precisa ser evitado
Ainda, segundo Barrichello, alguns hábitos e alimentos devem ser evitados para evitar a progressão do problema. Portanto, risque do seu dia-a-dia:
• Alimentos irritativos para a mucosa gástrica. Na lista estão: café, álcool, temperos fortes (alho, cebola, molho shoyu, pimenta, catchup e mostarda), leite de vaca e derivados, refrigerante, fritura, gordura, molho de tomate, frutas sucos ácidos e alimentos de difícil digestão como pimentão e berinjela.
• Fumar: o fumo pode piorar ainda mais os sintomas da gastrite, pois aumenta a produção de ácido no estômago.
• Ingerir grande quantidade de alimento antes de se deitar. Por isso, crie o hábito de jantar mais cedo e aguarde duas horas para dormir.
• Goma de mascar, pois ao mastigar, o estômago produz um ácido, pois entende que irá entrar alimento. E neste caso, o alimento não será deglutido.

Fonte- Médico endoscopista do HC-FMUSP Sérgio Barrichello (CRM-111.301), da Clínica Healthme gerenciamento de perda de peso.

  • Print
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • Live
  • PDF
  • Twitter