O surgimento da acne é muito comum e normalmente ocorre entre a terceira e a quarta semanas de vida da criança, podendo perdurar até seis meses. Além disso, ela está presente em cerca de 30% dos recém-nascidos.
De acordo com o dermatologista Fernando Passos de Freitas, acne neonatal surge devido à predisposição genética, após os hormônios maternos serem liberados durante a gestação e no estágio pós-parto.
“Esse tipo de quadro provoca o surgimento de espinhas e pequenos cravos, mas não é aconselhável espremê-los, sendo que não são graves e não deixam cicatrizes. Normalmente, os cravos são pretos ou brancos e as espinhas são avermelhadas e elas podem desaparecer facilmente. E mães, não usem óleos ou pomadas para tratar as acnes no bebê, esses produtos podem agravar o estado da pele”, explicou o dermatologista.
As acnes que surgem durante os 30 dias de vida do bebê se apresentam com mais intensidade do que a acne infantil que pode aparecer depois do terceiro mês de vida. Esse tipo de acne ocorre por causa do entupimento do folículo pelo excesso de sebo produzido pelas glândulas sebáceas, esse fechamento é levado para a superfície da pele ocasionando as espinhas e cravos no rosto ou nas costas.
É importante a realização de um diagnóstico com o pediatra para verificar se o caso é grave.
“Se aparecerem bolhas, espinhas com pus, o bebê deve ser examinado para descobrir causas,incluindo herpes viral. Caso, as espinhas continuem no rosto da criança, o correto é buscar ajuda de um dermatologista pare receitar medicamentos leves que possam contribuir e amenizar o problema”, orientou o dermatologista Fernando Passos de Freitas.
As espinhas também podem aparecer em crianças menores de 8 anos. Neste caso, procure um dermatologista para desvendar as causas da acne ou se pode existir algum problema hormonal. A acne também é menos persistente nas crianças e desaparece igual à acne neonatal. O tratamento para a acne infantil é muito diferente em relação aos bebês. Em algumas crianças os procedimentos variam de reposição hormonal á utilização de produtos que diminuam o espessamento da pele. Assim como nos adolescentes, o tratamento da acne infantil envolve limpeza e cuidado diário da pele.
Meu bebê tem espinhas, como tratar?
Os pais não precisam se preocupar, pois as acnes somem facilmente após o período de seis meses e também não deixam cicatrizes no rostinho da criança.
“O tratamento da acne neonatal dependerá da idade e da intensidade das espinhas. Caso ela estiver inflamada e incomodando, pode exigir de um tratamento. Para cuidar da pele do bebê, use cremes a base de peróxido de benzoíla ou ácido retinóico (baixas concentrações). Mas, só use esses produtos com a recomendação de um especialista”, observou o dermatologista Fernando Passos de Freitas.
Manter os cuidados diários pode ajudar a amenizar as espinhas como lavar o rosto do bebê uma ou duas vezes ao dia com sabonete hidratante específico para bebês e secar cuidadosamente. Jamais esprema ou cutuque e evite o uso de produtos gordurosos ou oleosos na área afetada.

Fonte- Dermatologista Fernando Passos de Freitas

  • Print
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • Live
  • PDF
  • Twitter