De acordo com o ginecologista Dr. Joji Ueno (CRM 48.486) doutor em medicina pela Faculdade Medicina da USP e responsável pelo setor de Histeroscopia Ambulatorial do Hospital Sírio Libanês e Diretor na Clínica Gera. Somente os casais que possuem taxa zero de infertilidade podem ser considerados estéreis.
“Hoje os casais podem recorrer a inúmeras técnicas de reprodução humana que são usadas pelos médicos para aumentar as chances de terem filhos. Com o avanço da tecnologia na medicina e a evolução dos tratamentos, muitos casais inférteis conseguem realizar o sonho de construir uma família”, explica o ginecologista.
Desmitificando a infertilidade e esterilidade
Entender o processo da gestação não é um assunto exclusivo para o universo feminino, os homens também tem uma participação muito importante na gravidez. Assim como as mulheres, eles são responsáveis por 50% de todo o processo.
O casal que encontra dificuldades para ter filhos devem manter um diálogo aberto e procurar ajuda médica para iniciar os exames e descobrir qual é a causa da infertilidade ou se realmente o casal é estéril. Saiba diferenciar a infertilidade da esterilidade e entenda como cada um age no corpo do homem e da mulher.
Esterilidade
A esterilidade é a incapacidade permanente e irreversível de gerar uma gravidez. Uma pessoa estéril é aquela que não consegue se reproduzir, mesmo que tenha relações sexuais desprotegidas por anos.
“A maioria dos casais que apresentam problemas para engravidar é infértil, apenas uma pequena parcela é considerada estéril. Normalmente, a mulher que nasce sem útero ou apresentam obstrução das duas trompas são estéril. Enquanto aos homens, a retirada cirúrgica dos testículos ou a vasectomia são responsáveis pela a incapacidade de reproduzir”, destaca o médico Dr. Joji Ueno.
Causas
A esterilidade pode ter origem no homem ou na mulher. As causas masculinas estão relacionadas a problemas anatômicos no aparelho reprodutor que impedem a libertação e emitem uma produção nula e baixa dos espermatozoides. Na mulher, a causa pode estar relacionada à endometriose, ou então ser ocasionada por anormalidades na ovulação, como anovulação ou disovulação.
Tratamento
O problema da esterilidade, tanto no homem como na mulher, é um dos campos nos quais a ciência médica mais avançou. Hoje a medicina pode oferecer uma solução à maioria dos casais que não têm filhos. O médico pode indicar como tratamento a reprodução assistida, inseminação intraconjugal ou a fecundação in vitro. Esses métodos podem ser uma das alternativas para os casais estéreis e que desejam constituir uma família.
Infertilidade
O casal pode ser considerado infértil quando não consegue, por vários motivos, conceber uma gravidez, após manter relações sexuais de forma regular e sem recorrer à utilização de qualquer método contraceptivo durante, pelo menos, um ano.
Causa
A infertilidade é considerada primária quando o casal nunca teve filhos, e secundária quando já tiveram, mas não conseguem engravidar novamente. Para alguns casais, isso pode acontecer devido a alguma doença pélvica.
“Os casos de infertilidade masculina ocorrem em razão de problemas na produção do espermatozoide ou quando este não consegue alcançar o óvulo. Já a infertilidade feminina, consiste na dificuldade de ovulação. A idade também é um fator que deve ser levado em consideração. A capacidade do ovário cai com a idade e durante a menopausa a mulher não produz mais óvulos, o que dificulta uma gravidez”, alerta o ginecologista, Dr. Joji Ueno.
Tratamento
Casais que desejam ter filhos e têm problemas de infertilidade devem procurar ajuda médica para que seja verificado o real motivo da infertilidade e seja iniciado o tratamento
Para os casais inférteis existem tratamentos como a reprodução assistida, que utiliza vários métodos diferentes para que o casal consiga engravidar. Dentre eles, a fertilização in vitro e a estimulação da ovulação.
“A infertilidade, masculina ou feminina, pode ser revertida em muitos casos. Com o tratamento adequado, as chances de gravidez chegam a 30%, mesma taxa de um casal que não apresenta problemas”, esclarece o ginecologista.
Quando devo procurar ajuda médica?
Um agravante da infertilidade é o tempo que o casal demora em procurar tratamento especializado. O homem e a mulher que foram diagnosticados com endometriose, alterações no espermograma, ciclos menstruais irregulares ou síndrome de ovários policísticos , não devem esperar mais do que 6 a 12 meses para procurar a ajuda da fertilização assistida.
Concluindo, o termo esterilidade é pouco utilizado na prática médica. Pois, com a evolução dos tratamentos para os casais que não conseguem conceber, os casos sem solução são extremamente raros.

Fonte- Ginecologista Dr. Joji Ueno (CRM 48.486) doutor em medicina pela Faculdade Medicina da USP e responsável pelo setor de Histeroscopia Ambulatorial do Hospital Sírio Libanês e Diretor na Clínica Gera.

  • Print
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • Live
  • PDF
  • Twitter