“O espermatozoide é o que determina o sexo dos bebês, a informação útil que a medicina tem a compartilhar no momento é o fato de que o cromossomo Y, responsável pelo nascimento de meninos, é mais rápido durante o período da ovulação, mas possui menor tempo de vida no organismo feminino, enquanto o cromossomo X, que dita o nascimento de meninas possui maior prazo de validade na mulher, mas é mais lento para alcançar o óvulo. Ou seja, há 50% de chances para cada um”, explica o médico.
Existe a possibilidade de escolha através da reprodução assistida, mas a sociedade médica ainda encontra barreiras éticas sobre o assunto.
Por isso para aqueles que querem, desesperadamente, escolher o sexo do bebê, algumas dicas e desmistificação de lendas podem auxiliar, mas não garantir 100% a escolha.
Verdade- Como o cromossomo Y (masculino) é mais rápido do que o cromossomo X (feminino), a prática do sexo, quanto mais próximo do período de ovulação, é tendenciosa para o nascimento de menino. Porque o espermatozoide que abriga o cromossomo masculino é capaz de chegar ao útero com mais rapidez e não morrer.
Mito- Ter relações sexuais na lua cheia não interfere o sexo dos bebês. Isso nada mais é do que uma crença popular sem fundamento cientifico.
Verdade – Fazer sexo poucos dias antes da ovulação, que deve ser controlada por tabelas e ultrassons, pode influenciar na fecundação do ovulo pelo cromossomo X (feminino) Isso se dá, apenas porque o espermatozóide que contém a característica feminina vive mais tempo no organismo. Se o espermatozóide com o cromossomo Y não encontra o óvulo, logo morre, enquanto o com o cromossomo X possui mais chances de fecundar o ovulo.

Mito – Essa é uma das histórias mais absurdas contadas àquelas que pretendem engravidar. Colocar uma colher de pau com uma fita rosa amarrada debaixo da cama, não interfere em absolutamente nada no sexo dos bebês.
Verdade – Lavar a vagina com vinagre pode matar o espermatozoide com o cromossomo masculino, muito mais sensível ao Ph acido que o portador do cromossomo X e facilitar o nascimento de garotas. Mas é preciso deixar claro que a medicina é terminantemente contra essa pratica visto os riscos de lesões na vagina, infecções graves e descontrole da flora vaginanem aprece ser realizado nem com vinagre nem com bicarbonato de sódio. Portanto, apesar de verdade, esqueça essa pratica.
Mito – Não é necessário permanecer deitada após o coito para aumentar as chances de nascer um menino. A posição não interfere no deslocamento do espermatozoide, portanto as chances dos sexos são as mesmas.
Verdade– A penetração mais profunda pode auxiliar na fecundação fo ovulo pelo cromossomo Y, porque assim o caminho entre o espermatozóide e o útero é encurtado, aumentando a possibilidade de sobrevivência e fecundação do ovulo pelo cromossomo y.
Mito – Dizem que se os homens tomam a iniciativa para o sexo, há possibilidades maiores de nascerem meninos, o inverso também acontece segundo os ditos da população, mas a informação não procede.
Verdade- A fertilização in vitro garante o sexo dos bebês, porque faz a fecundação em laboratório, escolhendo exatamente qual espermatozoide vai aplicar no óvulo. Ou seja, quem decide pelo cromossomo Y ou X é a mãe ou o casal. Porém essa pratica é proibida por lei.
Mito – A forma da barriga não diz se o bebê é menino ou menina. Há uma lenda que diz que barrigas pontudas simbolizam meninos e barrigas mais rechonchudas refletem a gravidez de meninas.
Verdade – O consumo de alguns alimentos como: pimenta, vinagre e limão aumentam a acidez do corpo e podem matar os espermatozoides com os cromossomos masculinos, que são mais sensíveis, facilitando ligeiramente a fecundação pelo espermatozoide com o cromossomo feminino .
Mito – Fazer sexo em dias pares do mês não acarreta no nascimento de meninas. A informação é mais uma lenda popular.
Mito – A hora do dia não interfere na ação dos espermatozoides, sejam portadores de cromossomo Y ou portadores de cromossomos X. E por isso manter relações sexuais durante a tarde não implica em maiores chances de nascerem meninas.

Fonte- Ginecologista e Obstetra Dr. Domingos Mantelli Borges Filho

  • Print
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • Live
  • PDF
  • Twitter