O que são vitaminas?

São substâncias indispensáveis no metabolismo do organismo, mas que não podem ser produzidas em nosso corpo. Assim, elas são obtidas através de alimentos, bebidas ou suplementos vitamínicos, são necessárias em quantidades pequenas, mas essenciais à vida. A falta ou ingestão inadequada causa uma deficiência específica.

As vitaminas são classificadas em dois grupos: Lipossolúveis: são aquelas que utilizam a gordura para serem absorvidas pelo organismo.

Vitaminas A, D, E e K. Hidrossolúveis: são as solúveis em água.

Vitaminas do complexo B (Tiamina, Riboflavina, Niacina, B6, Biotina, Ácido Pantotênico, Ácido Fólico ou Folato e Vitamina B12) e a vitamina C.

Onde são encontradas?

A maior parte das vitaminas é encontrada nas frutas, verduras, legumes e nos grãos integrais. Estes são alimentos que têm uma concentração importante não apenas de vitaminas, mas também de minerais, proteínas e outros nutrientes essenciais para o funcionamento do organismo.

Eles também contêm fibras, que desempenham papel fundamental na desintoxicação, na perda e na manutenção do peso.

Estes alimentos concentram quantidades balanceadas de cada nutriente, por isso o uso de suplementos não deve ser a primeira opção quando pensamos em melhorar o aporte de nutrientes da nossa alimentação.

Suplementos servem para casos específicos, e devem ser administrados sob orientação de um profissional de saúde que realmente tenha conhecimento sobre o assunto, do contrário pode até trazer prejuízos à saúde.

Cuidados A ausência de vitaminas no corpo pode causar alguns problemas, a avitaminose (sem vitamina) ou hipovitaminose (pouca vitamina) que são uma enfermidade gerada pela carência de vitaminas.

Para cada ausência de determinada vitamina causa determinados tipos de doenças, por exemplo:

- Falta de vitamina A (retinol): Cegueira Noturna (olhos secos)

- Falta de vitamina B1 (tiamina): Beribéri (tremedeira)

- Falta de vitamina B2 (riboflavina): Fotofobia

- Falta de vitamina B3 (niacina), B6 (Piridoxina) ou PP (nicotinamida): Pelagra (rigidez e descamação da pele)

- Falta de vitamina B5 (ácido pantotênico): Dormência nas mãos e nos pés

- Falta de vitamina B6 (piridoxina): Dermatite e atraso no crescimento

- Falta de vitamina B9 (ácido fólito): Problemas gastrintestinais

- Falta de vitamina B12 (cobalamina): Anemia perniciosa

- Falta de vitamina C (ácido ascórbico): Escorbuto

- Falta de vitamina D (calciferol): Raquitismo

- Falta de vitamina H (biotina): Distúrbios neuromusculares

- Falta de vitamina K (filoquinoma): Hemorragia

- Falta de vitamina P (rutina): Possível aparecimento de varizes A carência de vitaminas pode ocorrer devido a sua falta na ingestão, por má absorção do intestino, má utilização metabólica, etc.

A deficiência de vitaminas na ingestão geralmente se origina pela carência de recursos ocasionada pela miséria (falta de recursos para a alimentação), por dietas inadequadas, falta de alimentos frescos (como o caso do escorbuto dos marinheiros que não ingeriam frutas nem verduras).

No caso da má absorção intestinal, esta pode ser localizada (como ocorre nos casos em que há um déficit seletivo no ílio terminal) ou, generalizada (como no caso da colite ulcerosa, da doença de Crohn, alcoolismo, má absorção intestinal nos idosos, gastrite crônica e neoplasias intestinais).

A má utilização metabólica pode ocorrer devido a efeitos secundários de remédios, pelo aumento típico da demanda na gestação, no período de amamentação, ou, na puberdade. Mas o excesso também é prejudicial, o acúmulo de vitaminas no corpo é chamado de hipervitaminose.

Conhecida também como “envenenamento por vitamina” pode levar a sintomas tóxicos. As dosagens excessivas de vitaminas A, B3 e B6 isolada (sem o Complexo B), algumas vezes são associadas aos efeitos colaterais de vitamina, entretanto os mesmos normalmente cessam rapidamente com a redução ou interrupção da ingestão das mesmas. É importante ressaltar que nem todas as vitaminas geram um quadro de hipervitaminose.

A vitamina C, por exemplo, tem sido utilizada em doses diárias 1000 vezes acima da dose diária recomendada, sem efeitos tóxicos, no tratamento de doenças graves, embora a superdosagem da vitamina C exerça um forte efeito laxativo em pessoas saudáveis.

As elevadas doses de suplementos minerais também podem causar intoxicação e efeitos colaterais, principalmente em suplementos que contenham ferro, incluindo multi-vitaminas, embora esse tipo de envenenamento seja bastante incomum.

Onde encontrar?

Vitamina A: encontra-se no leite e derivados, gema de ovo, fígado, frutas como laranja e mamão, couve e vegetais amarelos.

Carboidrato: encontra-se na batata, arroz e massas, como pão e macarrão. Ferro: encontra-se no fígado, nas carnes em geral, leguminosas como o feijão.

Vitaminas D e E: encontra-se nos laticínios, fígado e gema sendo ricos em ambas.

A vitamina E está também no milho, aveia, feijão e verduras.

Vitamina C: encontra-se nas frutas cítricas, banana, manga, caju, rabanete, tomate, pimentão e verduras.

Niacina (Do complexo B): encontra-se nas verduras, legumes, gema de ovo, leveduras (só em cápsulas), carne magra, leite e derivados.

Tiamina (B1): encontra-se nas carnes, cereais integrais, frutas, ovos, legumes, leveduras

Piridoxina (B6): encontra-se no trigo, milho, fígado, frango, peixe, leite e derivados, leveduras. Magnésio: encontra-se nas nozes, soja, cacau, frutos do ar, cereais integrais, feijões e ervilhas.

Cálcio e Fósforo: encontra-se no leite e derivados, gema de ovo e cereais integrais são ricos em cálcio.

Carnes magras e laticínios fornecem fósforo.

Em caso de alguma dúvida, converse com o seu médico ou procure por um especialista que são os profissionais indicados para orientar sobre a alimentação mais adequada.

  • Print
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • Live
  • PDF
  • Twitter