Durante a gravidez, a mulher precisa ganhar um peso extra para sustentar o bebê com segurança. Mas muitas acabam ganhando mais que o necessário e saem da gestação com uma silhueta completamente diferente da que tinham antes. Por que é tão fácil exagerar nessa fase? Entenda a fome e os desejos que envolvem a maternidade e proteja-se desse mal.

Quando o óvulo é fecundado, o corpo começa a se preparar para formar a criança. O endocrinologista Antônio Carlos Nascimento explica que uma das medidas é aumentar os níveis de estrogênios e progestagênios. Tudo ótimo, se não fosse um detalhe: os níveis aumentam muito, e de forma muito radical! Por isso, a gestante sente enjôos, náuseas e uma série de outros efeitos colaterais nada agradáveis.
A variação hormonal exerce uma influência forte sobre o hipotálamo, que é quem regula o humor. Cai a produção de substâncias prazerosas, como a serotonina, e a mulher fica mais instável e ansiosa – como se a própria expectativa de um ser humano novo e uma vida nova já não fossem motivos suficientes para causar ansiedade.

É essa instabilidade, principalmente, que provoca os famosos “desejos das grávidas”: aquela vontade incontrolável de comer doces e alimentos gordurosos, que não fazem nenhum bem à mãe ou ao filho. O que acontece é que esses alimentos estimulam a produção das tais substâncias prazerosas, “compensando” o trabalho do hipotálamo e buscando o humor e o bem-estar. Soa familiar? Pois esse aspecto da gravidez nada mais é que um nível muito mais alto do que já ocorre durante a TPM. Por isso, esconda os chocolates!

Se a idéia de afogar-se em comidinhas ou de perder o bom humor não a agrada, o especialista tem uma dica: praticar exercícios físicos com freqüência ajuda a controlar a ansiedade, reduzindo aquela necessidade por doces. Para complementar, basta cultivar hobbies prazerosos, como leitura ou pintura, passando bem longe do stress!
Se o humor é a principal causa do ganho de peso durante a gravidez, é depois dela que a mulher precisa tomar mais cuidado. De acordo com o médico, a maioria das mulheres engorda logo após a gestação: “é provável que o organismo mantenha um pouco da memória da necessidade calórica anterior”, justifica ele. Além disso, a instabilidade hormonal pode prejudicar o metabolismo, mas ainda não se sabe o quanto isso pode facilitar o acúmulo de gordura.
Ganhar uns quilinhos a mais é normal e pode até ser positivo, mas o exagero é sempre ruim. Fugir dos “desejos” alimentares pode ajudar a evitar a obesidade e até problemas cardíacos ou de colesterol. Por isso, procure seguir as recomendações de um nutricionista enquanto estiver na gravidez. Assim, você garante a nutrição do seu bebê e a sua, sem abrir mão do bem estar!

  • Print
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • Live
  • PDF
  • Twitter