Archive for the ‘Gravidez’ Category

Ter um filho é uma aventura cheia de dúvidas, emoções, expectativas e sensações incríveis, mas alguns desconfortos também. Depois do parto o corpo fica muito diferente e por vezes a mulher acredita que não irá voltar a ser o que era. Bate certa tristeza e desânimo e, passado o primeiro impacto às mudanças ocorridas, o corpo começa a causar inseguranças e questionamentos: Será que minha pele vai ficar manchada? Meu abdômen vai voltar ao normal? E as estrias?

Muito se fala das alterações do corpo da mulher durante a gravidez, mas a verdade é que uma das grandes preocupações da maioria das gestantes vem depois dos nove meses, o pós-parto. Esse período também é cheio de transformações, principalmente no corpo da mulher. Ele, apesar de já dar sinais de retorno desde o primeiro momento, leva um tempo para voltar à forma final. O barrigão diminui bastante, mas a flacidez, as estrias e os quilinhos a mais ficam ali, insistem em ficar. Os seios também continuam aumentados e as pernas permanecem inchadas.

A gravidez é um momento de muita alegria, mas também de cuidados redobrados. Bebês saudáveis provêm de mães que seguiram à risca às ordens médicas e procuraram ter ao longo da gestação uma vida regrada. Mas algumas mulheres, mesmo seguindo todas as orientações, acabam sofrendo com algum probleminha. E a trombose é um deles.

Acalmar o corpo é acalmar a mente, e uma das maneiras de se obter isso durante a gravidez é com a técnica da massagem relaxante, que proporciona o alívio do stress e das dores comuns na gestação. A terapia, no entanto, deve ser aplicada com cuidados e restrições específicas. A massagem para gestantes é uma massagem diferenciada, realizada com cuidados especiais e toques suaves, enfatizando os problemas da futura mamãe.

A infertilidade acomete cerca de um a cada cinco casais que desejam engravidar e várias são as causas no âmbito feminino que podem determinar o insucesso na gravidez. A infertilidade de causa uterina é uma delas e dentre as alterações mais frequentes estão as sinéquias, espécies de cicatrizes (aderências) decorrentes de agressões no interior do útero, como a curetagem pós-aborto, endometrites, cirurgia intrauterina para remoção de mioma ou correção de defeito estrutural do útero e cesariana.

A redução da mortalidade materna no Brasil é ainda um desafio para os serviços de saúde e a sociedade como um todo. As altas taxas encontradas se configuram um grave problema de saúde pública. Um estudo realizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), UNICEF, UNPFA e o Banco Mundial, estimou que aproximadamente 536.000 mulheres em todo o mundo já morreram vítimas de complicações ligadas ao ciclo gravídico-puerperal. Apenas 15% delas viviam em países desenvolvidos e a tragédia era evitável em 92% dos casos.

A realização de qualquer procedimento invasivo durante a gravidez só deve ser justificada quando está claro que não irá causar dano ao feto e à mãe. Não é diferente no caso da endoscopia. Ela deve ser realizada apenas em último caso ou quando a gestante apresentar sinais de alarme como dor abdominal intensa, dificuldade ao engolir, vômitos severos e incessantes, sangramento gastrointestinal e obstruções das vias biliares.

Após o nascimento do bebê o corpo da nova mãe começa o seu período de recuperação. No entanto, depois de nove meses com aquele barrigão e de tantas mudanças físicas e psicológicas, a volta não será para o estado de pré-gravidez, mas sim para um novo corpo feminino que passou pela gestação e pelo parto. É comum a barriga ficar mais flácida, com estrias na pele, varizes que teimam em não desaparecer. “Muitas mulheres às vezes hesitam em engravidar por medo do corpo não voltar ao estado natural”, diz o médico cirurgião plástico Dr. Luiz Eduardo Mendonça Pereira (CRM- 114141), da Clínica Bertolini.

Qual é a mãe que não deseja que seu filho cresça saudável e sem nenhum problema de saúde? Mas para que isso ocorra as mães devem se manter em vigilância durante os nove meses da gestação e evitar comer alimentos pobres em nutrientes. Manter uma alimentação equilibrada rica em proteínas e ácido fólico, por exemplo, pode garantir o bom funcionamento do organismo do bebê.

Dor, peso, cansaço, inchaço, formigamento e câimbra nas pernas. Qualquer futura mamãe logo reconhece esses sintomas típicos de quem sofre com as varizes. Embora incômodas, essas veias dilatadas, que acometem grande parte das grávidas, já são velhas conhecidas. Mas quando esses sinais aparecem associados a intensas dores na região pélvica, sensação de peso antes da menstruação, forte cólica, sangramento menstrual abundante e incômodos durante e após as relações sexuais, é preciso ficar atenta a um tipo específico de disfunção vascular: as varizes pélvicas.